Sustentabilidade

Além da preocupação com o bem-estar dos animais e do desenvolvimento da agricultura familiar catarinense (Animais Bem Cuidados e Responsabilidade Social), a Laticínios Holandês também desenvolve inúmeras ações de proteção do meio-ambiente. A indústria Laticínios Holandês investe em tecnologia para gerar o menor impacto possível à natureza. A estação de tratamento de fluentes, por exemplo, permite que os resíduos que saem da fábrica sejam decantados e a água que volta para o meio-ambiente seja totalmente limpa.

A preocupação também pode ser vista na escolha dos materiais das embalagens, todos eles recicláveis. Neste sentido, vale destacar que a opção pelos saquinhos de leite e de iogurte não é gratuita, este tipo de material é de fácil reciclagem e causa menos impacto ao meio-ambiente do que outras embalagens.

As consultorias agroecológicas de pasto rotacionado, conhecidas como Pastoreio Racional Voisin, que a Holandês fornece aos produtores, permitem um maior aproveitamento da terra e facilitam a criação dos animais, favorecendo economicamente a agricultura familiar. Trata-se de um sistema que garante uma produção maior de leite em uma área menor, reduzindo custos e aumentando a eficiência econômica das propriedades agrícolas. Neste processo, os recursos naturais são conservados e o emprego de energia e insumos é reduzido, gerando um maior equilíbrio ecológico da região e um menor impacto ambiental.

A técnica idealizada pelo pesquisador francês André Voisin tem como insumo base a energia solar, focando no potencial fotossintético das pastagens. As pastagens são divididas em piquetes, fazendo com que, enquanto um deles está em uso, outros fiquem em descanso, favorecendo assim a fotossíntese, através do acúmulo das reservas tanto energéticas quanto proteicas nas raízes das plantas.

Dentro deste sistema, os animais ficam mais dóceis, graças à abundância de água e alimento que tem à disposição. A ação das fezes e da urina que os animais depositam no piquete ao longo do dia também colabora para a manutenção da fertilidade das pastagens. Este retorno da matéria orgânica ao solo permite a permanente reciclagem de nutrientes. Além disso, o solo, antes seco pelo pisoteio excessivo, passa a ser descompactado e volta a ser permeável. O sistema também diminui a ocorrência de zoonoses e permite uma maior resistência do pasto às variações no ambiente natural.

A empresa também assessora os pequenos produtores na construção de esterqueiras, que permitem a fermentação do esterco, diminuindo o seu poder poluidor e possibilitando o posterior aproveitamento como fertilizante em lavouras e pastagens. Desta forma, os pequenos produtores podem ter um pasto mais rico em nutrientes para as vacas, sem a utilização de agrotóxicos e fertilizantes químicos. Sem contar que este recurso evita a contaminação de rios e córregos pelos dejetos dos animais.